Pratos principais, Receitas, Sem glúten
comentários 34

Nhoque de abóbora

Difícil achar alguém que não gosta de nhoque, eu particularmente adoro! Faço de vez em quando de batata e de mandioquinha, mas essa foi a primeira vez, quer dizer a segunda, que fiz de abóbora. Digo segunda vez porque a primeira não deu muito certo. Motivo? A abóbora que eu tinha usado, a paulista, não é muito boa para fazer nhoque. Ela retém muita água, tive que usar muita farinha para conseguir modelar. Resultado, nhoque com sabor de farinha 😖

Lá vai uma dica valiosa para evitar isso, a abóbora mais indicada para fazer nhoque é a japonesa, também conhecida como cabotiá. Por ser mais seca, retém pouca água, assim não é necessário adicionar muita farinha para obter uma massa lisa e firme. Resultado, nhoque macio, leve e adocicado com sabor de abóbora, uma delícia para ser compartilhada.

Outros ingredientes que usei também foram: fubá, fécula de batata, azeite de oliva, sal rosa do Himalaia (pode ser o comum) e pimenta do reino. Como você deve ter notado, não leva farinha de trigo como a tradicional, assim o nhoque é sem glúten. E também não leva ovos, perfeita para quem tem alergia ou intolerância a esses ingredientes.

O nhoque fica com um pouco de gosto de fubá, como eu gosto bastante não me incomodei com esse fato. Mas se você não gosta e não tem nenhuma alergia ou intolerância ao glúten, é possível substituí-lo por farinha de trigo branca na mesma quantidade. Não indico o uso da farinha de trigo integral porque o sabor é mais forte e marcante, além de deixar o nhoque mais pesado.

ingredientes

modelando-os-nhoques

Vou ser bem sincero, fazer nhoque não é lá uma coisa prática e rápida. Mas também não é algo para se fazer todo dia né, acho perfeito para um almoço ou jantar de final de semana. Quando se tem mais tempo para fazer e degustar.

Servi o meu com molho pesto de manjericão caseiro, já publiquei a receita aqui. Mas você pode muito bem servir com molho de tomate ou com folhas de sálvia fresca rapidamente refogadas no azeite por alguns segundos até seu perfume sair, fica uma delícia também!

nhoque-de-abobora-sem-gluten

Você vai precisar de…
Abóbora japonesa/cabotiá – metade de uma grande (1 kg)
Fubá fino (ou farinha de trigo branca) – 1 xícara (140 g) + um pouco para modelar
Fécula de batata – 1/2 xícara (70 g)
Azeite de oliva – 3 colheres de sopa (45 ml)
Sal – 2 colheres de chá (10 g)
Pimenta do reino – a gosto (opcional)

Como fazer…
1- Preaqueça o forno a 230 °C.
2- Retire as sementes da abóbora com uma colher e envolva com papel manteiga ou alumínio.
3- Leve ao forno preaquecido por cerca de 40 minutos ou até a polpa estiver macia.
4- Retire do forno e, ainda quente, tire toda a polpa e transfira para um recipiente. Amasse bem com um garfo até formar um purê homogêneo, sem pedacinhos de abóbora. Reserve até esfriar.
5- Adicione o fubá, a fécula de batata, o azeite de oliva, metade do sal e a pimenta do reino. Misture bem até obter uma bola de massa lisa e firme. Se necessário, adicione mais fubá.
6- Polvilhe uma superfície lisa com um pouco de fubá e faça rolinhos com pequenas porções da massa. Corte em pedaços de aproximadamente 2 cm e reserve.
7- Leve uma panela grande com água ao fogo alto. Assim que ferver adicione o restante do sal.
8- Com o auxílio de uma escumadeira, mergulhe cerca de 10 nhoques por vez na água fervente. Deixe cozinhar até subirem à superfície. Retire os nhoques, escorrendo bem a água, e transfira para um recipiente. Adicione um fio de azeite enquanto ainda estão quentes e chacoalhe o recipiente até todos os nhoques estiverem envolvidos, assim eles não grudam um nos outros. Repita esse processo até cozinhar todos.
9- Sirva ainda quente com molho de tomate ou pesto de manjericão como na foto.

Esta receita rende 3 porções.

nhoque-de-abobora-japonesa

bom apetite

  1. Caroline says

    Olá André
    Obrigada pela dedicação, você tem me ajudado muito ( estou em transição para o veganismo e descobri a alergia ao glúten dois meses atrás).

    Heim, é possível congelar?
    Pensei em fazer e guardar para aquelas horas em que a correria toma conta 🙂

    • André says

      Oi Caroline! De nada querida, fico feliz em saber que estou te ajudando. Não é fácil unir veganismo com alergia ao glúten, mas tenho certeza que você irá conseguir 😉 Já tentei congelar esse nhoque e não ficou bom depois. A massa fica bem úmida e se desmancha fácil descongelada, o negócio é fazer e comer na hora. Abraços!

  2. Giovanna says

    Oii! Amei a receita e pretendo prepara-la para meus amigos em breve! queria saber se dá pra substituir a fécula de batata por tapioca bem peneirada?

    • André says

      Oi Giovanna! Fico feliz em saber que tenha gostado da receita 😀 Eu tentei fazer com polvilho doce já, também dá certo. Mas achei que o nhoque ficou muito viscoso, acabei não gostando da textura. Mas quem sabe você goste. Abraços!

  3. Marcio Monteiro says

    Bom dia! Ao invés do Fubá, posso substituir por farinha de arroz?

    • André says

      Oi Marcio! Eu não indicaria usar a farinha de arroz porque ela é bem granulada, vai interferir na textura, deixar o nhoque meio arenoso. Mas se você não se incomoda com esse fato, dá pra substituir sim. Abraços!

  4. Maria Teresa says

    Conheci hoje o blog procurando uma receita de nhoque de abóbora. Fiz e aprovei. Obrigada!!

    • André says

      Oi Maria! Que bom que você gostou da receita do nhoque 😀 De nada e abraços!

  5. Érika says

    André, poderia substituir a fécula de batata por outra coisa? Aqui em fortaleza nao tô achando ela, e to doida pra testar essa receita

    • André says

      Oi Érika! Da para substituir por amido de milho, também funciona. Mas daí não sei a quantidade exata, acho que não precisa de muito. Espero que goste 😉 Abraços!

  6. Olá André! Parabéns pelo cuidado, carinho e bom gosto do seu blog. Estou conhecendo agora. Sou ovolactovegetariana a mais de 30 anos, e vivo procurando receitas novas e novas alternativas para minha família. Muito obrigada.

    • André says

      Oi Siomara! Obrigado! Espero que goste das minhas receitas 😉 É sempre bom variar o cardápio né!? Abraços!

    • André says

      Oi Roberto! Fico feliz em saber que você gosta das fotos e das louças 😀 Obrigado e abraços!

      • Roberto says

        Sim, adorei. Você poderia dizer qual a marca/fabricante/artesão?
        Abraço.

        • André says

          Oi Roberto! Eu comprei numa feira ano passado, é do Instituto Arte Cerâmica – IACE daqui de SP. Abraços!

  7. Bom dia, André! Acabei de chegar em seu blog e já estou encantada. Primeiro pelo capricho com que foi feito. Tudo é lindo, desde o nome, fontes, imagens maravilhosas, e de um conteúdo incrível!
    Com certeza, vou me maravilhar… Parabéns!

    • André says

      Oi Cassia! Fico feliz em saber que tenha gostado do blog querida 😀 Espero que goste das receitas. Obrigado e abraços!

  8. Fernanda Guerra says

    Eu to mt acostumada a fazer nhoque de abóbora, acho maravilhoso.. faço da normal mesmo porém fica mole e não dá para fazer o rolinho. Adiciono pouca farinha para não alterar o sabor e coloco na água modelando em colheradas. vou experimentar fazer com a abóbora japonesa.. uma dica que eu acho bem legal é cozinhar a abóbora no microondas (não é necessário adicionar água). o meu microondas tem um modo para cozinhar batatas… é esse que eu escolho e da super certo!!

    • André says

      Oi Fernanda! É muito bom né nhoque de abóbora. Entendi, já vi uma receita assim que modela os nhoques em colheradas direto na água fervente. Espero que vocês goste dessa receita. Obrigado pela dica do micro-ondas. Abraços!

  9. Aline Coelho says

    Aí meu Deus! partiu testar essa delícia… In love com esse blog

  10. Ficou com uma cara ótima, gosto muito de abobora cabotiá e de nhoque também , então acho que a receita deve ficar muito boa.

    Obrigada por compartilhar essas delícias

    • André says

      Oi Jo! Se você gosta de cabotiá e nhoque então vai amar 😀 De nada e abraços!

  11. Judite says

    Olá André.
    A abóbora só pode ser assada? Se for cozida fica boa?
    Obrigada.
    Ah! Gostei muito do seu blog

    • André says

      Oi Judite! Eu indico assar ela para não absorver muita água durante o cozimento, mas da pra fazer cozida. Acredito que daí você vai precisar adicionar mais farinha para dar o ponto de nhoque. Que bom que você gostou do blog 😀 Abraços!

  12. Katia says

    Adorei a receita. Vou experimentar. Pode-se congelar depois de pronto? Obrigada

    • André says

      Oi Katia! Espero que goste. Pois então, eu congelei uma parte sem cozinhar pra ver se dá ou não. Depois te digo se ficou bom ou não 😉 Abraços!

        • André says

          Oi Katia! Eu descongelei o nhoque e cozinhei como descrito na receita e não ficou muito bom 🙁 Não indico congelar, ele ficou bem mole, quase virou um purê de abóbora. Melhor fazer e comer na hora, ou deixar na geladeira e consumir até no dia seguinte. Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *