Entradas e acompanhamentos, Lanches, Receitas, Sem glúten
comentários 38

Coxinha de palmito (sem glúten)

Do tradicional boteco de esquina ao restaurante classudo de comida contemporânea da moda, a coxinha é sem dúvida um dos salgados mais populares do Brasil. De origem paulista, conquistou todos os cantos do país em pouco tempo. A receita tradicional leva farinha de trigo branca na massa e frango no recheio, depois é frita por imersão em óleo quente.

Com o passar do tempo surgiram novos recheios, ingredientes e formas de preparo. Por aqui não é muito diferente, a receita que fiz é completamente alternativa. É vegana, sem glúten e assada. Uma versão bem mais saudável e leve que a tradicional.

Para a massa utilizei mandioquinha, também chamada de batata baroa ou batata salsa. Por isso que ela ficou bem amarelinha, e o cheiro então nem se fala, é maravilhoso! Se você não tiver mandioquinha, pode usar batata comum, batata doce, cará, inhame ou mandioca, também dá certo.

Ingredientes massa

Já para o recheio usei palmito, azeitonas, pimentão e cebola. Uma combinação bem saborosa. O palmito que comprei foi o pupunha fresco, já cortado em fatias finas (foto abaixo). Você pode usar a espécie que encontrar, fresco ou em conserva, a dica que dou é cortar ele em fatias finas para absorver melhor o tempero. Se for usar em conserva, lave ele em água corrente para tirar o excesso de sódio e da acidez da conserva.

Ingredientes do recheio

Preparando a coxinha

Moldando a coxinha de palmito.

Para empanar usei apenas farinha de mandioca fina, ela é naturalmente sem glúten, fácil de ser encontrada nos supermercados e lojas de produtos naturais, além de ser bem barata. Depois é só assar no forno por apenas 15 minutos. Essa receita rendeu 7 coxinhas.

Coxinhas de palmito

Coxinha de palmito.

Você vai precisar…

para a massa:
Mandioquinha – 5 unidades = 400 g
Farinha de mandioca fina – 1/4 xíc. = 40 g (+ um pouco para empanar)
Óleo vegetal – 2 colheres de sopa
Polvilho doce – 1 colher de sopa
Sal – 1/2 colher de chá

para o recheio:
Palmito cortado em tiras finas – 2 xícs. = 250 g
Azeitonas sem caroço – 1/4 xíc. = 40 g
Pimentão cortado em cubinhos – 1/4 xíc. = 30 g
Cebola – 1 pequena = 80 g
Água – 2 colheres de sopa (opcional)
Polvilho doce – 1 colher de sopa (opcional)
Óleo vegetal – 1 colher de sopa
Sal – 1/2 colher de chá

Como fazer…

a massa:
1- Descasque a mandioquinha e corte em pedaços menores. Transfira para uma panela e cubra com água, cozinhe até ficar macia.
2- Escorra a água e amasse com um garfo até virar purê ainda quente. Espere esfriar por completo.
3- Adicione os demais ingredientes e misture com as mãos até obter uma bola de massa lisa e homogênea. Se a massa estiver muito úmida e grudenta, adicione mais farinha de mandioca até dar ponto.

o recheio:
1- Corte a cebola em cubinhos e refogue no óleo até dourar.
2- Junte o palmito, as azeitonas, o pimentão e o sal. Misture bem e deixe refogar por cerca de 3 minutos, mexendo de vez em quando.
3- Dissolva o polvilho doce na água e acrescente ao recheio. Misture até ficar homogêneo. Essa etapa é opcional, mas deixa o recheio mais úmido e cremoso.

a coxinha:
1- Pegue uma pequena porção da massa e faça bolinhas com a palma da mão. Achate e coloque o recheio no centro.
2- Feche a massa moldando o formato de coxinha.
3- Para empanar mergulhe rapidamente as coxinhas na água e em seguida passe na farinha de mandioca.
4- Retire o excesso de farinha e distribua as coxinhas em uma assadeira. Leve ao forno preaquecido a 180°C por cerca de 15 minutos.

Coxinha de palmito com massa de mandioquinha

bom apetite

    • André says

      Oi Cláudia! Eu nunca tentei congelar, mas acredito que dê certo sim. Se tentar me avisa como ficou 😉 Abraços!

  1. Cecilia says

    André! Entrei nesse mundo vegano a 3 meses e amando! Parabéns pelo blog to adorando as receitas, pretendo fazer essa da coxinha hoje ainda! Muito sucesso pra você!

    • André says

      Oi Cecilia! Que bom que você está amando esse mundo vegano 😀 Espero que você goste da receita. Obrigado querida 😉 Abraços!

  2. Mayara says

    Olá André! Primeiramente gostaria de dizer que adoro seu blog!! Além de tudo, é lindo e muito didático. Tentei fazer essa receita, com batata ao invés da mandioquinha, e minha massa ficou extremamente quebradiça. Não consegui modelar.. Aonde será que errei?

    • André says

      Oi Mayara! Fico feliz em saber que você gosta do blog 😀 Poxa que pena, a batata comum é um pouco mais seca mesmo que a mandioquinha. Você tentou adicionar um pouco de água ou azeite para hidratar e deixar mais modelável? Abraços!

    • André says

      Oi Cleonice! Que legal, espero que os clientes gostem da receita 😀 Abraços!

  3. Ana says

    Ola eu amei seu blog. Queria saber se e possivel de fazer essa receita com mandioca e nao mandioquinha.

    • André says

      Oi Ana! Sim, você pode fazer com mandioca da mesma forma. Abraços!

  4. Daniel Thurler says

    Que presente esta receita! Estou nos meus primeiros meses de vegetarianismo e tendo contato também o veganismo.
    Essa receita vai matar meu desejo de comer uma boa coxinha!

  5. Carolina Vilella says

    Nossa, mas o seu site é muito incrível!
    As fotos, o visual do site, as receitas em si! Estou doida pra testar várias.
    Parabéns pelo trabalho!

    • André says

      Oi Carolina! Fico feliz em saber que tenha gostado do blog 😀 Espero que goste das receitas. Obrigado e abraços!

  6. Melissa says

    Olá André!
    Sou apaixonada por alimentação natural e fiquei surpresa ao encontrar no seu site receitas tão diversificadas, bem explicadas e organizadas.
    Gostaria de encontrar receitas com kefir (cultivado em água ou leite), ele é um probiotico excelente para a saúde, e também receitas com biomassa de banana verde.
    Desejo muito sucesso na disseminação da alimentação natural e sustentável e que venham mais receitas incríveis para fazer o nosso dia a dia mais feliz.
    Grande abraço!

  7. kassandra monteiro says

    Amo esse blog! Fotos maravilhosas; receitas bem explicadas! Quando lançará um livro?? bjuxx

    • André says

      Oi Kassandra! Fico feliz em saber que você gosta do blog. Em breve devo lançar um livro sim 😀 Abraços!

      • Ana Paula says

        Estarei esperando ansiosa pelo livro, o blog é maravilhoso e a receitas nem se fala.

        • André says

          Que bom que você gosta do blog e das receitas Ana, fico feliz em saber 😀

  8. Daniele Alves says

    Olá André, muito bacana suas receitas, parabéns! Gostaria de saber se posso congelar a coxinha e o pastel de palmito. Se sim, sabe o tempo de validade?
    Obrigada.

    • André says

      Oi Daniele! Que bom que você gostou das minhas receitas, fico feliz em saber 😀 Eu nunca congelei pra falar a verdade, mas acredito que dá pra fazer isso. Pode ser que eles fiquem quebradiços depois de congelado, mas o sabor ficará o mesmo. Acredito que deve durar cerca de 1 mês congelado. De nada e abraços!

  9. Alexandre says

    Olá André!!

    Muito bacana o blog. Vou fazer várias receitas!!!
    Essa da coxinha, o polvilho doce pode ser substituido pela tapioca?

    • André says

      Oi Alexandre! Que bom que você gostou do blog, fico feliz em saber 😀 Sim, você pode substituir o polvilho doce pela tapioca, vai funcionar do mesmo jeito. Abraços!

  10. marina says

    Você é maravilhoso amei suas receitas obrigado vou estar sempre te ac ompanhando abraços

    • André says

      Oi Marina! Que bom que você gostou das receitas 😀 De nada e abraços!

  11. Aline says

    Melhor blog de todos. fotos, como você escreve sua experiÊncia na cozinha, receitas…é tudo muito lindo! Gratidão pela partilha!

    • André says

      Oi Aline! Uau, fico muito feliz em saber que tenha gostado do blog querida 😀 Abraços!

    • André says

      Oi Carolina! Sim, você pode fritar também, da mesma forma que a coxinha tradicional. Abraços!

    • André says

      Que bom que você gostou Ana, fico muito feliz 😀 Abraços!

  12. Sabrina says

    Hum que delícia, uma ótima opção para festinhas infantis!
    André, faça um canal no youtube por favoooor! adoro suas receitas e seu blog! Beijo

    • André says

      Oi Sabrina! Verdade, uma ótima opção para festinhas infantis. Já pensei em fazer canal no YouTube, mas ainda não coloquei em prática essa ideia. Minha câmera é muito ruim pra filmar 🙁 mas em breve devo lançar. Obrigado pela dica. Abraços!

  13. Miriam Oliver says

    André, sou completamente apaixonada pelo seu blog e por você, que se dispõe a criar tanta comida gostosa e saudável! Parabéns! Mudei minha alimentação há dois anos, excluindo o glúten! Nesse caminho e lendo muito cheguei à conclusão que, a comidinha saudável mesmo era a que minha vó fazia, no interior. Comida da roça! rsss E nessa saga eu fui introduzindo uma alimentação sem glúten e tentando fazer muito no dia a dia, a comida da vovó. Eu gostaria de mudar alguns ítens, como o óleo de cozinha, trocando-o por banha de porco ou óleo de coco. No momento, banha de porco. Sabe me dizer a proporção entre o óleo de cozinha e a banha? No começo penei muito com as diferenças. Ai, meu Deus, e a batata frita!? Tentei algumas receitas de pão, trocando o óleo por banha derretida e algumas não deram certo. Você tem como me ajudar? Fiquei muito feliz quando falou que veio assistir os jogos no RJ, minha cidade. Obrigada pelos elogios e volte sempre. Os cariocas te esperam de braços abertos. Beijos!

    • André says

      Oi Miriam! Fico muito feliz em saber que tenha gostado do blog 😀 Obrigado! Verdade, comida saudável mesmo é aquela fresca preparada em casa com ingredientes que vem da horta. Como não utilizo nada de origem animal não sei te dizer a proporção de óleo de cozinha por banha de porco. Eu sempre utilizo óleo de coco ou óleo de girassol. Você deve estar me confundindo com outra pessoa rsrs eu não fui ver os jogos no Rio, mas já conheci a cidade maravilhosa e gostei muito! Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *