Todos os posts arquivados em: Sem glúten

Assado de lentilha

A época do ano em que a comilança rola solta está chegando. E pensando na ceia de Natal, resolvi publicar aqui uma receita perfeita para essa ocasião especial, um assado de lentilha muito saboroso e gostoso. Bom, não poderia ser diferente, já que leva bastante temperos que gosto muito, logo, não poderia ficar ruim.

Dadinhos de tapioca

Os dadinhos de tapioca tornaram-se um aperitivo clássico do aclamado restaurante Mocotó, do chef Rodrigo Oliveira, aqui em São Paulo. A criação original leva tapioca granulada, queijo coalho, leite de vaca, sal e pimenta do reino branca. Depois de alguns testes, consegui trocar os ingredientes de origem animal para uma versão vegana satisfatória. Além disso, ao invés de fritar os dadinhos como a receita tradicional, eu assei. Resultado? Ficaram tão gostosos quanto os originais, crocantes por fora e macios por dentro. Acompanhados de molho de pimenta agridoce, como é servido no restaurante, ficam ainda melhores! Não deixe de experimentar esses dois juntinhos ❤ Eu fiz o molho em casa porque não gosto muito apimentado, a receita está no final do post.

Sopa de ervilha com hortelã

Cremosa, saborosa, prática e muito saudável! Essa sopa, ou creme, como você preferir chamar, pode ser servida quentinha em dias frios, ou gelada em dias quentes. Fica gostosa em qualquer temperatura e leva poucos ingredientes: inhame orgânico que recebi em casa da Bolsa de Orgânicos (já falei sobre o serviço deles aqui), ervilha, hortelã, sal e azeite de oliva. O segredo para ficar saborosa é utilizar ervilhas frescas, nada daquelas enlatadas. As frescas são bem mais gostosas e não contém sódio, sem contar da cor verde vibrante linda. É possível encontrar na seção de congelados dos supermercados, geralmente é vendida em pacotinhos de 300 g. Eu sempre tenho no congelador, são bem práticas, cozinham super rápido. 

Nhoque de abóbora

Difícil achar alguém que não gosta de nhoque, eu particularmente adoro! Faço de vez em quando de batata e de mandioquinha, mas essa foi a primeira vez, quer dizer a segunda, que fiz de abóbora. Digo segunda vez porque a primeira não deu muito certo. Motivo? A abóbora que eu tinha usado, a paulista, não é muito boa para fazer nhoque. Ela retém muita água, tive que usar muita farinha para conseguir modelar. Resultado, nhoque com sabor de farinha 😖

Mingau de tapioca

Apesar de que o café da manhã é a refeição mais importante do dia, eu tenho a maior preguiça de preparar algo já de manhã cedo. Fora que muitas vezes aqueles 5 minutinhos a mais de soneca se transformam em 20 minutos e me atraso para sair da cama hahaha. O que não sobra muito tempo para preparar algo. Mas mingau é uma coisa que faço com frequência, mesmo não tendo muito tempo. É super rápido de fazer, em menos de 10 minutos já está pronto, e muito fácil, basta misturar tudo numa panela e aquecer. Simples, barato e gostoso.

Torta de chocolate (sem açúcar)

Eu já publiquei várias receitas diferentonas aqui no blog, mas acho que esta ganha de todas. Antes de fazer cara feia deixa eu defender minha opinião sobre como esta torta é gostosa. Pode ser que você não goste mesmo, mas pelo menos tentei hahaha. Quem acompanha o blog a algum tempo já deve ter visto uma receita de musse de chocolate que fiz com avocado (pode ser substituído por abacate). Receita bastante popular entre os crudívoros, aqueles que tem uma alimentação baseada em alimentos não cozidos.

Coxinha de palmito (sem glúten)

Do tradicional boteco de esquina ao restaurante classudo de comida contemporânea da moda, a coxinha é sem dúvida um dos salgados mais populares do Brasil. De origem paulista, conquistou todos os cantos do país em pouco tempo. A receita tradicional leva farinha de trigo branca na massa e frango no recheio, depois é frita por imersão em óleo quente. Com o passar do tempo surgiram novos recheios, ingredientes e formas de preparo. Por aqui não é muito diferente, a receita que fiz é completamente alternativa. É vegana, sem glúten e assada. Uma versão bem mais saudável e leve que a tradicional.

Cracker salgado (sem glúten e integral)

Lanchinhos leves e saudáveis entre as principais refeições são muito bem-vindos, ainda na correria da semana, não é? Faço com frequência cookies de aveia com alfarroba, trufas de tâmaras, barras de cereal e granola para comer durante o dia no trabalho. Como sempre levo um snack doce, decidi variar e fazer algo salgado pela primeira vez, mas sem deixar de lado a praticidade. E foi assim que nasceu a ideia de fazer os crackers, ou biscoito salgado, como você preferir.

Brownie de castanha de baru

Há uma castanha brasileira típica do cerrado que não tem tanta fama como a castanha do Pará e de caju, mas é tão gostosa quanto as outras de sua família. É a castanha de baru, um tipo de amêndoa oleaginosa de coloração castanho, extraída da árvore baru. Recentemente ela vem sendo produzida e comercializada em maior escala devido ao seu valor nutricional, podendo ser encontrada com facilidade em lojas de produtos naturais e empórios. A Monama, marca de produtos naturais orgânicos que eu gosto bastante, tem em sua linha de produtos a castanha de baru torrada sem sal. É possível comprar até pela internet, no site da marca, caso você não encontre em lojas físicas.

Waffles (sem glúten)

Alguns dias atrás publiquei aqui no blog uma receita simples de mistura de farinha sem glúten, para aqueles, que por questões de saúde não podem consumir essa proteína. Ou para quem, assim como eu, gosta de variar a alimentação e experimentar novos ingredientes. Meu primeiro teste com essa mistura caseira foi de waffles com iogurte na massa. O resultado foi surpreendente, eles ficaram com uma textura muito boa. Crocante por fora, e macio e úmido por dentro, maravilhoso! Eu jurava que iria dar errado, tanto até que chamava aquilo de teste, mas não, ficaram bons de primeira.