Todos os posts arquivados em: Post novo

Caldo verde

É só a temperatura baixar nessa época do ano que começa a pipocar pelas ruas plaquinhas com o anúncio “temos caldo verde”. Não tem coisa melhor que uma sopa ou creme quentinho para nutrir e aquecer o corpo em baixas temperaturas, não é!? Pensando nisso resolvi fazer um caldo verde à la Tempero Alternativo, ou seja, sem carne. Mas isso não significa que fiz um creme de batata com couve sem graça. No lugar da carne usei cogumelos frescos para adicionar um pouco de umami na preparação. Resultado? Ficou DI-VI-NO! Tô aqui escrevendo com água na boca hahaha. É sério!

Éh TudoCacau: produtos derivados de cacau orgânico e brasileiro

A partir de agora, além dos posts de receitas, irei divulgar por aqui marcas e produtos que consumo com frequência e que merecem ter maior visibilidade. Afinal de contas, para ter uma boa alimentação e para que uma receita fique saborosa, é preciso saber escolher bons ingredientes. Além disso muitos me perguntam quais marcas consumo, então espero ajudar com essa nova seção do blog intitulada Fica a dica.

Biscoito de fubá

Difícil encontrar alguém que não tem na memória afetiva alguma receita com fubá. Essa farinha de milho tem o poder de trazer à tona o gostinho de infância, do café da tarde na casa da avó ou no carinho de mãe. Esse pozinho de cor amarelado assume diversas formas e texturas. Broas, bolos, sequilhos, polenta, pães e biscoitos que acompanham uma xícara fumegante de café ou de chá. É confort food brasileiro, que alimenta o corpo, a alma e as boas memórias.

Torta de açaí com banana

Mês passado tive a oportunidade de conhecer Belém, capital do Pará. Um dos motivos que me levou até lá, além da cultura, foi a culinária típica e genuína. Com forte influência indígena e totalmente baseada no que a Amazônia tem de melhor a oferecer, a culinária paraense é incrível em todos os aspectos, ingredientes, modo de preparo, forma de servir e consumir.

Muffins de pitanga

Não é difícil encontrar pitangueiras espalhadas em quintais e pomares do Nordeste ao Rio Grande do Sul. Aqui em São Paulo já vi várias brotando em calçadas e ruas movimentadas. Na primavera e no verão seus galhos se enchem de pequenas bagas vermelhas em tons que variam de acordo com a maturação. Quanto mais vermelha, mais madura.

Moqueca de banana-da-terra

Capixaba ou baiana? Eis a questão. Independente de onde tenha surgido, uma coisa é fato, a moqueca é brasileira! Acho essa iguaria a cara do Brasil, marcante, diversa e colorida. Por ter um imenso território a culinária brasileira varia muito, é o resultado de uma grande mistura de ingredientes e tradições adaptados ao clima de cada região. A moqueca capixaba não leva azeite de dendê, nem leite de coco e pimentão, já a baiana sim. Ela é tão importante para o país, em especial para o Espírito Santo, que se tornou patrimônio cultural imaterial.