Entradas e acompanhamentos, Post novo, Pratos principais, Receitas, Sem glúten
comentários 17

Caldo verde

É só a temperatura baixar nessa época do ano que começa a pipocar pelas ruas plaquinhas com o anúncio “temos caldo verde”. Não tem coisa melhor que uma sopa ou creme quentinho para nutrir e aquecer o corpo em baixas temperaturas, não é!?

Pensando nisso resolvi fazer um caldo verde à la Tempero Alternativo, ou seja, sem carne. Mas isso não significa que fiz um creme de batata com couve sem graça. No lugar da carne usei cogumelos frescos para adicionar um pouco de umami na preparação. Resultado? Ficou DI-VI-NO! Tô aqui escrevendo com água na boca hahaha. É sério!

Pra quem não sabe, o umami é o quinto gosto básico reconhecido pelo paladar humano, os demais são amargo, azedo, doce e salgado. Ele é responsável por aumentar a produção de saliva e por dar continuidade do gosto do alimento por alguns minutos após a ingestão do alimento.

Os alimentos mais ricos em umami são o queijo parmesão, o tomate, os cogumelos e a carne. Por este motivo que em muitas preparações é possível trocar a carne por cogumelos de modo satisfatório no quesito sabor, como caldos, estrogonofes e ensopados.

O cogumelo que usei para esta receita foi o nameko, meio difícil de achar em supermercados. Mas você pode muito bem usar outras espécies como shiitake, Paris, Portobello e shimeji. Essa foi a primeira vez que comi o nameko, achei bem saboroso. Sou suspeito pra falar já que sou tarado por cogumelos frescos hahaha. Culpa do umami! Hahaha.

Você vai precisar de…
Batata – 6 médias (800 g)
Cogumelo fresco – 100 g (ver dicas no texto acima)
Couve picada finamente sem o talo – 1 xícara (60 g)
Azeite de oliva – 1 colher de sopa (15 ml)
Alho – 2 dentes (10 g)
Sal – 1 colher de chá (5 g)

Como fazer…
1- Descasque as batatas e corte em cubinhos.
2- Transfira para uma panela e cubra com água ou caldo de legumes caseiro (receita aqui). Tempere com 1/2 colher de chá de sal e leve ao fogo médio. Cozinhe até ficarem macias.
3- Enquanto a batata cozinha prepare o refogado. Descasque e pique os dentes de alho. Reserve.
4- Limpe os cogumelos com um pano de prato ou papel toalha úmido. Não é indicado lavá-los em água corrente, uma vez que absorvem muita água e perdem o sabor. Se estiver usando os cogumelos paris, portobello ou shitake corte em pedaços. Caso estiver usando o nameko ou shimeji, corte a base e separe os “raminhos”. Reserve.
5- Em uma frigideira aqueça o azeite e refogue o alho até dourar levemente.
6- Acrescente os cogumelos e tempere com 1/2 colher de chá de sal. Refogue até começar a soltar água. Mexa de vez em quando para não queimar. Desligue o fogo e reserve.
7- Transfira a batata cozida para o liquidificador e bata bem até obter um creme homogêneo. Acrescente um pouco da água do cozimento aos poucos até obter uma consistência mais líquida.
8- Volte o creme para a panela e adicione o refogado e a couve picada. Cozinhe por alguns minutos, mexendo sempre para não queimar no fundo. Se estiver muito espesso adicione um pouco de água.
9- Sirva ainda quente.

Dica: se você quiser um caldo mais verde, como das fotos, triture um punhado de couve picada com o creme no liquidificador.

Rendimento: 3 porções

  1. Edileuso F. Silva says

    Creme de batata com couve sem graça é a primeira impressão de comida vegetariana, mas acredito que não é essa descrita aqui. Aprendi a palavra umami , este blog também é cultura, parabéns.

    • André says

      Oi Edileuso! Verdade, creme de batata com couve para muitos é sem graça. Mas com alguns cogumelos refogados fica super saboroso. Que bom que você conheceu o umami no blog 😀 Obrigado e abraços!

  2. Zuleica says

    André,
    Seu blog, é realmente delicioso.!
    De dar água na boca.
    Estou fugindo há um tempo dos alimentos inflamatórios, como glúten e leite(Já que trato de patologia inflamatória).
    Mas, não sou criativa, e não gosto muito de cozinhar.kkk
    Mas, comer fora aqui em Vitória/ES, é meio complicado.
    Então, não tem como zerar o consumo deles.
    Mas nesse seu blog vou usar a sua criatividade e aprender.Rsrsrs…
    Essas suas dicas vão me ajudar muitíssimo..!
    Brigaduuuuuuu…
    Um abraço…

    Zuleica

    • André says

      Oi Zuleica! Oba, fico feliz em saber que você gosta do blog 😀 Não é fácil evitar produtos com glúten e leite fora de casa, além de ser difícil achar boas opções são caras. Espero que meu blog te inspire a ajude você a criar mais vontade de cozinhar e praticar a criatividade 😉 Abraços!

  3. Maíra says

    Gente, que site maravilhoso! Tô aqui com água na boca já, doidinha pra fazer essa receita! 🙂
    Amo caldo verde mas como pouco porque a linuiça deixa muito gorduroso. Essa versão vegana já vai pro caderninho de receitas! Rs

    • André says

      Oi Maíra! Fico feliz em saber que você gostou do blog 😀 Essa receita tem bem menos gordura, mais leve mesmo, espero que você goste 😉 Abraços!

    • André says

      Oi Fernanda! Fico feliz em saber que você achou o blog lindo 😀 Espero que goste das receitas querida. Obrigado e abraços!

  4. Heloise says

    Que delícia de sopa!! Fiz e ficou muito gostosa, já se tornou uma favorita!! Troquei metade das batatas por batata salsa da amarela, ficou maravilhosa! Obrigada pela receita!

    • André says

      Oi Heloise! Que bom que você gostou 😀 Nossa deve ter ficado incrível mesmo com batata salsa. De nada querida 😉 Abraços!

  5. Sandra Luz says

    Maravilhada com a estória do umami!
    O equivalente do paladar ao sexto sentido.

    • André says

      Oi Sandra! É muito interessante o umami né!? Podemos dizer mesmo que equivale ao sexto sentido do paladar. Abraços!

  6. Fausto says

    Ahhhh que delíciaaa!!!
    Anotado pra fazer!!! rsrs
    obs: O link para o Caldo de Legumes não está funcionando. 🙂

    • André says

      Oi Fausto! Espero que você goste da receita. Ops, link corrigido. Obrigado pelo aviso 😉 Abraços!

  7. Schirley Holz says

    Eu amo caldo verde!
    Vou fazer desse jeito da próxima vez.

    • André says

      Oi Schirley! Espero que você goste da receita 😉 Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *