Entradas e acompanhamentos, Lanches, Pratos principais, Receitas, Sem glúten
comentários 10

Acarajé

Podemos dizer que o acarajé é um falafel brasileiro. Enquanto o falafel é um bolinho de grão de bico frito, comida de rua típica de Israel. O acarajé é um bolinho de feijão fradinho frito, comida de rua típica da Bahia. Ambos são feitos com leguminosas ricas em proteínas, que foram deixadas de molho na água por um tempo para hidratar. Depois são trituradas com temperos e fritas. Tanto o falafel quanto o acarajé são muito gostosos, nutritivos e fáceis de fazer.

Geralmente o acarajé é temperado só com cebola e sal, bem simples, mas bem gostoso. Se você quiser incrementar o tempero colocando alho por exemplo, fique a vontade. O acarajé é frito no azeite de dendê, hoje facilmente encontrado em supermercados e lojas de produtos naturais. Ele deixa o bolinho com uma cor alaranjada linda, ninguém diz que é feito com feijão fradinho depois de frito. Muda completamente a cor.

Ingredientes

Acarajé

Quando descobri que a receita de acarajé só leva 4 ingredientes: feijão fradinho, cebola, sal e azeite de dendê. Achei que fosse super simples e bem rápido de fazer, até descobrir que é necessário descascar cada misero grão de feijão. Que trabalheira hein, PQP!!! Só as baiana mesmo pra ter paciência pra fazer isso hahahaha. Comecei a descascar os malditos grãos já reclamando, procurei na internet o porque de descascar, mas não achei a resposta. Se alguém souber por favor me avisem!

Tentei várias alternativas para descascá-lo com rapidez, como esfregar com as mãos, esfregar no meio de um pano, colocar em água quente para sair a casca, mas nenhum dessas opções tive um bom resultado. Depois de muitos xingamentos, desisti de descascar o feijão e joguei com casca e tudo no processador hahaha. Triturei, temperei, fritei e ficou muito gostoso, mesmo com a casca. Então a dica é: faça com a casca e seja feliz 😀 hahaha.

Acarajé com pimenta

Bolinho Acarajé

SABOROSO
SEM GLÚTEN
CROCANTE POR FORA
MACIO POR DENTRO

INGREDIENTES:
1 xícara de feijão fradinho cru
1/2 xícara de cebola picada
Azeite de dendê o suficiente para fritar por imersão
Sal a gosto

COMO FAZER:
1- Lave o feijão fradinho e deixe de molho por no mínimo 8 horas numa tigela;
2- Escorra a água e transfira o feijão  para um processador ou liquidificador. Acrescente a cebola e o sal a gosto;
3- Bata bem até se transformar num creme homogêneo. Acrescente um pouco de água para ajudar as hélices a triturar melhor os ingredientes, cuidado para não colocar demais. Continue a bater em velocidade máxima até aumentar o volume e ficar bem branquinho e leve a massa, essa etapa é importante para fermentar o feijão;
4- Em uma panela aqueça o azeite de dendê. Com a ajuda de uma colher, pegue um pouco da massa e coloque no azeite quente. Frite por imersão por cerca de 5 a 10 minutos até ganhar uma casquinha grossa e crocante. No meio do tempo vire o acarajé para fritar bem dos dois lados;
5- Retire do azeite e coloque sobre papel toalha para absorver o excesso de gordura. Consuma logo em seguida enquanto estiverem quentinhos e crocantes.

DICA: Sirva o acarajé com molho ou geleia de pimenta.

BOM APETITE!

  1. Francinne says

    Tive que rir! Achei sua página exatamente enquanto procurava a razao pela qual tem que se tirar a casca do feijao fradinho. Como nao moro no Brasil, nao tenho acesso à massa pronta e dou gracas aos ceus de achar o feijao com casca mesmo. Qt ao processo de tirar a casca, já tentei as dicas acima e mesmo facilitando há de ter paciencia e agua. Hj bati tudo com casca mesmo e o que percebi por enquanto é que a massa fica um pouco mais fibrosa. Quanto ao sabor, eu só vou provar na hora do almoco, mas fiquei feliz em ler que vc tentou e ficou gostoso tb. As receitas veganas de vatapá e caruru serao super benvindas (embora nao tenha achado quiabo por aqui ainda!). Seu site parece bem legal. Vou dar uma olhada com mais calma! 🙂

    • André says

      Oi Francinne! Nossa, que coincidência ein hahaha Sim verdade, tem que ter muita paciência e água para tirar a casca, por isso acabo deixando mesmo hahaha. Sim, fica gostoso também com casca, fica mais fibroso mesmo, mas não vejo problema nisso. Espero que goste do blog e das outras receitas 😉 Abraços!

  2. ivana says

    Olá porque no finalzinho da massa o acaraje começa espedaçar todo quando vou fritar no azeite dendê? Obrigada

    • André says

      Oi Ivana! O meu não aconteceu isso. Talvez você tenha adicionado água demais na massa, ai ficou muito úmida. Por isso deve ter se despedaçado. Ou talvez você mexeu ele demais na hora de fritar, antes de ter criado a casquinha grossa e crocante em volta. É difícil dizer ao certo porque aconteceu isso. Espero que consiga na próxima vez 😉 Abraços!

  3. Jose correia de Lima says

    Para facilitar a retirada da casca e do olho preto do feijão fradinho, é preciso quebra-lo com auxilio do liquideficador, em pequenas quantidades por 20 s, depois colocar de molho, as casca e o olho se separam do feijão, e com uma peneira pode-se facilmente retira_los.

      • Breno says

        É, normalmente fazem assim, deixam de molho e vão trocando a água, esfregando os feijões, nem é preciso bater no liquidificador… Eu não gosto muito porque me parece um desperdício imenso de água! Massa pronta é meio chato né? Mas em feiras nordestinas você acha o feijão fradinho quebrado e sem casca, é bem barato… Quanto à necessidade da retirada da casca, é estética, para que não fiquem os olhinhos pretos e para que a massa fique mais homogênea, sem as pelinhas… É um prato muito difícil mesmo, isso porque você nem fez o vatapá e caruru (poderia propor uma versão vegana, obrigado), haja braço! Mas é na dificuldade e na exigência física deste prato que habita sua sacralidade… Axé!

        • Oi Breno! Realmente é um desperdício de água fazer esse processo. Não sabia que em feiras nordestinas se acha o feijão já quebrado e sem casca, que interessante. Ah entendi agora o porquê de tirar a casca, muito obrigado pela informação! Vou tentar fazer uma versão vegana do vatapá e caruru, aguarde hehehe. Obrigado pelas informações. Abraços! Axé!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *